12/10/2009

Pensamento do dia


"Quem começou, tem metade da obra executada"
Horácio


Assim sendo desejo-vos um resto de semana excelente :)

15 comentários:

Gi disse...

Isto é um pensamento pós-autárquicas? :D

Boa semana para ti também.

CPrice disse...

sem dúvida .. e quem nada começa e se limita a criticar tudo e todos destrói a semi-obra com a agravante que nada constrói ;)

Gostei*
Beijo de boa semana para ti também

Hélder Ferrão disse...

E quem terminou, já tem toda a obra feita? (risos)

Xanda disse...

E isto cheira-me, pela foto lool, que é em Guimarães, a metade da obra.
bjnhs

avogi disse...

olá ka
fui hoje experimentar a parra. Gostei. vá ao meu blogue ler
o que escrevi sobre isso.kisses. depois dou-lhe a receita do milho. É uma comida medeirense. Conhece a Madeira?

avogi disse...

Ka
deixo hoje o Porto, uma cidade que eu adoro e fiz dela o meu segundo lar. Quando for ao meu rural, diga-me , teri muito gosto em lhe dar um roteiro dos lugares a visitar.Bem ka, obrigada pela dica da parra. quando voltar cá irei lá novamente. Mas vai ter de me dar outras dicas para eu experimentar.kisses

Kok disse...

Ora bem...

Beijo!

Ka disse...

Gi,

Foi mesmo pensamento de quem inha uma semana inteira pela frente :D

Beijos

Ka disse...

Cat,

Sem dúvida!!!

Beijos e boa meia semana :)

Ka disse...

Helder,

Benvindo ao BDK!

Acho que nunca fica terminada :)

Volte sempre!

Ka disse...

Xanda,

Não é!!
É relativamente perto, e bem memnos cnhecido: Castelo da Póvoa de Lanhoso, por onde andei no passado fim-de-semana :)

beijocas

Ka disse...

Cara avogi,

Cá ficarei à espera das receitas :))) e enviarei algumas tb.

Beijinho

O Fio da Meada disse...

ora aqui está um pensamento muito à nossa medida, principalmente se o que se seguir for: o empreiteiro a fugir com o resto do dinheiro do orçamento, a obra passar para outro, e terminar anos fora do prazo com uma derrapagem orçamental brutal (para o contribuinte pagar)

a naão ser que seja uma obra particular, nesse caso com a inevitável fuga aos impostos e arecuperação do capital investido através da inflação camuflada dos produtos, a coisa dá-se, mas o contribuinte é que volta a pagar

ou seja, em qualquer dos casos, tudo o que envolva obra, independentemente de quem a começa e de quem a acaba, o resultado é sempre o mesmo:

paga galego!

:|

:)

beijocas

Ka disse...

Fio,

E assim ficou arruinado um belo pensamento filosófico com uma cruel chamada á reladidade.

:|

Beijoca ;)

O Fio da Meada disse...

desculpa pá, devias ter colocado aqui o tal filtro..

:|