30/08/2008

Quando nos recentramos....

Ainda a gozar desesperadamente o último dia de férias e por isso sem estar "activa", apenas um apontamento:

Quem já me conhece desde o início do blog, ou quem já se deu ao trabalho de ir ao histórico do blog e ver como começou, sabe que sou pela vida. Não tenho nem nunca tive a pretensão de julgar quem quer que seja. No entanto sou pela vida, sempre fui e sempre serei! E acima de tudo acho que neste caso a excepção não pode ser a regra.
As férias têm destas coisas...recentramo-nos nos nossos objectivos. Descansamos....e finalmente, sem o stress do dia-a-dia pensamos e reflectimos sobre o que é essencial e acessório. E neste caso a conjugação disso com o facto de ter recebido um e-mail de uma amiga blogosférica (pena que Portugal não tenha mais umas quantas destas pessoas) resultou no facto de vos alertar para a situação do aborto após a sua legalização e passado mais de um ano sobre o facto e sobre a possibilidade que temos de pedir que a lei seja revista.
Caros amigos, certamente que este post não agradará a muita gente que me visita. Mas como sempre fiz questão de ser transparente e como me afastei um pouco desta minha "luta", aqui fica um refresh e quem eu sou: uma pessoa cheia de defeitos, com algumas qualidades, mas que acredita a vida merece ser defendida e que basta uma sexualidade responsável para evitar sequer ter de tomar decisões difíceis.

Esta sou eu e quem quiser gosta quem não quiser não gosta. Mas para mim há valores acima de qualquer outra coisa, e a vida é um deles :)

Uma boa semana para todos!

ps - brevemente voltarei ao activo....

25 comentários:

Patti disse...

Primeiras! Estava a sair e vi-te chegar!

Patti disse...

És pela vida e és corajosa, por tocares num tema que incomoda muita gente e que já te trouxe algumas "guerras".
Um tema nada simpático e sujeito a descriminações, por quem não respeita a opinião alheia.

No entanto, afirmas-te e defendes aquilo em que acreditas, frontalmente sem medo de críticas ou de juízos de valor.

Já estava com saudades tuas e até breve, não é?

Gata Verde disse...

Adoro pessoas transparentes...logo gosto de ti!!

Beijocas e bom regresso

ღ♥ @nn@ ღ♥ disse...

welcome Ka !
estava com saudades sim senhora ;)

Zabour disse...

Acho k sem honestidade e sem sinceridade o mundo não evoluí, por isso é pena que não haja mais pessoas com coragem para mostrar aquilo que são, o que sentem, o que as move...
A verdade acima de tudo, doa a quem doer...;)

Bjokas e bom regresso

Vekiki disse...

Wellcome back Ka!
Tens razão quando dizes que basta uma sexualidade responsável, mas infelizmente ainda não existe uma mentalidade de sexualidade responsável e informada o suficiente no nosso belo país...
Estou aqui!
Bjs

Ka disse...

Patti,

Nem se trata de ser corajosa...é mais ser coerente comigo e defender aquilo em que acredito!!
E como podes ver pelo nº de comentários este é mesmo um assunto controverso e incómodo para muita gente...

Eu também já tinha suadades tuas :)

Beijos e uma boa semana

Ka disse...

Gata,

Obrigada, és uma querida :)

Beijocas e uma boa semana

Ka disse...

Anna,

Obrigada :)
Espero que por aí também esteja tudo bem!!!

Beijocas e uma excelente semana

Ka disse...

Zabour,

Desde que haja respeito podemos ter todos opiniões diferentes. Neste caso sei que a maior parte das pessoas nem sequer mostra a sua opinião seja ela qual fôr...é um assunto incómodo e ninguém está para se chatear :P

Beijocas e uma excelente semana

Ka disse...

Vekiki,

O problema no nosso país é cultural pois na dúvida vai-se sempre pela facilidade. E num assunto destes a educação de casa é essencial. Mas pela forma como as crianças são educadas já dá para ver que o facilitismo é palavra de ordem...e entretanto vão algumas vidas à viola!

Beijinhos e uma excelente semana

Girafa cor de rosa disse...

GANDA MULHER!! Eu tb sou pela vida, pela alegria, pela esperança, pela luta, pela força...desejo-te um BOM REGRESSO e muita força, ânimo e coragem no retorno ao trabalho. Beijos.

Maria P. disse...

Bolas!!
Se isto não é estar "activa" o que será?!...

Beijoca*

Rafeiro Perfumado disse...

E por acaso andamos por cá para agradar a quem nos visita? Se assim fosse já tinhas trocado de clube há muito tempo. Defende aquilo em que acreditas, só assim receberás em troca amizades sinceras. Beijoca e bem regressada!

ines disse...

e má nada!!!

a sangria já está á nossa espera! até me vai "saltar a tampa"!

Leonor disse...

Bem vinda Ka

É sempre bom visitar alguém que diz aquilo que pensa e pensa efectivamente nas coisas:))

é sempre com gosto que cá venho

beijinhos, boa semana

Ka disse...

girafa,

Também és? fico contente por saber pois por vezessinto que somos tão poucos...

Beijinho enorme!!!

Ka disse...

Maria,

Estar activa é...fazer posts como o que fiz ontem ...aahah

Beijoca :P

Ka disse...

Rafita,

Eu sei que sim que tu e a tua jove são dois dos amigos que ganhei :)

Beijocas

Ka disse...

inês,

A sangria pois é...tenho de falar à Li :P

Quanto a saltar a tampa a mim tb me salta por vezes...e no sábado vai saltar com toda a certeza!!!

Beijocas

Ka disse...

Leonor,

(corada até às orelhas mas com um sorriso na cara) simpatia tua só pode :)
Mas modéstia à parte tento ir pensando e sinto necessidade de as dizer por uma questão de coerência que nem sempre é fácil mantermos.
É sempre um prazer receber a tua visita!

Beijinhos

Safira disse...

É um assunto controverso, de facto, porque se se pergunta 'es a favor ou contra' estás a fechar uma pergunta cuja resposta tem muitas zonas cinzentas. Eu também sou pela vida, no sentido de que nao creio que alguma vez conseguisse fazer um aborto e não concordo de todo que seja usado como rede para falha do método contraceptivo. Mas também não acho que eu, como cidadã, tenha o direito de criminaliza-lo e retirar toda e qualquer opção do indíviduo sobre o seu próprio corpo. Deixa-me partilhar uma história recente: tenho uma amiga, casada, com um filho (não planeado, diga-se de passagem, porque ela nunca quis ter filhos). Há dias ligou-e aflita que tinha a certeza que estava grávida...fui ter com ela para a acalmar. O discurso dela foi taxativo. Se estiver grávida, vou abortar. Estás doida, disse-lhe eu. Não, não estou. Não quero mais filhos. Não a consegui convencer. Meio a brincar, meio a sério, até lhe disse que o adoptava eu, depois. É mesmo uma coisa dela, não nasceu para ser mãe. E sou-te honesta, Ka, ainda que me cortasse o coração, eu ia com ela ao hospital segurar-lhe na mão durante a intervenção...
por isso falo das zonas cinzentas. Comigo mesma, taxativo NÃO, JAMAIS, EM TEMPO ALGUM. Mas para com os outros sou mais indulgente, não concordo com o princípio, mas entendo o desespero por detrás de uma decisão destas, até certo ponto.
Xiii, que testamento. Vais rifar-me depois disto!
Beijjos

Ka disse...

Safira,

Antes de responder ao teu comentário apenas deixo já o comentário que assim é bom falar. Fazes um comentário estruturado defendes a tua posição!

Agora ao que me dizes: Se reparares tive o cuidado de dizer que não julgo ninguém e além disso já tive de acompanhar uma amiga nessa decisão. Eu nunca faria, ela entendeu fazer pelas circunstâncias qe rodeavam a sua vida, pediu-me apoio e eu estive lá (acredita que foi dificil pois se por um lado tinha necessidade de ajudar uma amiga, ao mesmo foi contra tudo em que acredito).

Agora a questão principal: nunca nenhuma mulher foi presa por fazer um aborto ao contrário do que foi anunciado muitas vezes. Mas a questão nem é essa pois digo-te que algumas deevriam mesmo sê-lo. Sabes que há mulheres que já vão no 3º aborto no espaço de um ano??? Isto sim é condenável pois se não querem ter filhos que se previnam. So que o grande problema deste país é o facilitismo. Não se aposta em campanhas de prevenção e dá-se como única solução o aborto.

Claro que há situações dramáticas mas sabias que essas (inclusivé as de ordem financeira) já estavam previstas na lei e pemitiam o aborto? A diferença é que via essas situações como excepções e não como regra.

Se me permites e falando agora de pessoas como a tua amiga: Quem não tem vocação para ser mãe deve ter então um especial cuidado em não engravidar. E hoje em dia meios contraceptivos não faltam Safira. É uma questão de responsabilidade! E que com esses descuidos são VIDAS que vão à viola.

E aproveito para acrescentar mais um pormenor: sabias que umas dos argumentos defendidos era o de que o aborto legal iria diminuir o aborto clandestino não se cumpriu? E a razão é muito simples: sempre houve e sempre haverá pois as razões que levam algumas mulheres a abortar são tão intimas que jamais elas iram recorrer ao aborto legal, especialmente em localidades pequenas por expl.

Enfim, muita coisa haveria a dizer sobre este assunto. Eu acredito que a excepção (que é no ultimo caso recorrer ao aborto) não deve ser regra e muito menos com a liberdade da nossa...

Beijinhos

ps- tás a ver porque é que eu não te rifo??? :P

Paulo Tomás Neves disse...

Quando se toma posição contra ou a favor de algo fundando-a em motivos religiosos ou filosóficos (geradores do que vulgarmente designamos por "princípios") tudo se torna mais fácil, segue-se o dictat.
Complicado é quando não há verdades absolutas, quando há excepções ou até meramente livre arbítrio. Nestes casos somos obrigados a pensar, e pensar pode ser muito incomodativo.
No caso do aborto tenho duas posições. Uma, de princípio, contra a sua realização. Outra, do ponto de vista legal, em que sou favorável à lei actual visto que é a que está mais próxima dos países nossos vizinhos. Uma lei mais restritiva em Portugal do que em Espanha, por exemplo, significaria apenas uma exportação da prática abortiva para Espanha, embora apenas limitada a quem tivesse dinheiro para a efectuar.
Beijinhos e bom fim-de-semana

Ka disse...

Paulo,

Desta vez estamos em desacordo em relação à lei pois a pratica abortiva em Espanha continua, mas feita em instalações no nosso país. Quem pode não vai aos Hospitais mas sim a clínicas por isso o problema continua. A lei da forma que está feita é completamente permissiva e incentiva ao facilitismo...

Nunca acabar com uma vida deve ser regra mas sempre excepção e por causas fundamentadas.

beijinho