20/09/2008

Há dias assim...


«Tenho de ir para casa», pensava ele, mas não lhe apetecia nada ir-se embora. E, enquanto assim estava deitado, com a cara encostada às algas, aconteceu de repente uma coisa extraordinária: ouviu uma gargalhada muito esquisita, parecia um pouco uma gargalhada de ópera dada por uma voz de «baixo»: depois ouviu uma segunda ainda mais esquisita, uma gargalhada pequenina, seca, que parecia uma tosse; em seguida uma terceira gargalhada, que era como se alguém dentro de água fizesse «glu», «glu». Mas o mais extraordinário de tudo foi a quarta gargalhada: era como uma gargalhada humana, mas muito mais pequenina, muito mais fina e muito mais clara. Ele nunca tinha ouvido uma voz tão clara: era como se a água ou o vidro se rissem.
Com muito cuidado para não fazer barulho levantou-se e pôs-se a espreitar escondido entre duas pedras. E viu um grande polvo a rir, um caranguejo a rir, um peixe a rir e uma menina, que devia medir um palmo e meio de altura, tinha os cabelos verdes, olhos roxos e um vestido feito de algas encarnadas. e estavam os quatro numa poça de água muito limpa e transparente toda rodeada de anémonas. E nadavam e riam.

- Oh!Oh!Oh! - ria o polvo.
- Que!Que!Que! - ria o caranguejo.
- Glu!Glu!Glu! - ria o peixe.
- Ah!Ah!Ah! - ria a menina.

Depois pararam de rir e a menina disse:
- Agora quero dançar.
Então num instante, o polvo, o caranguejo e o peixe transformaram-se numa orquestra.
O peixe, com as suas barbatanas, batia palmas na água.
O caranguejo subiu para uma rocha e com as tenazes começou a tocar castanholas. O polvo trepou para cima dos rochedos e esticando muito sete dos seus oito braços prendeu-os pelas pontas com as suas ventosas na pedra e, com o braço que tinha ficado livre, começou a tocar guitarra nos seus sete braços. Depois pôs-se a cantar.
Então a menina saiu da água, subiu para uma rocha e principiou a dançar. E a água junto aos seus pés ia e vinha e bailava também.
Escondido, atrás do rochedo, o rapaz, imóvel e calado, olhava.
[...]


Hoje, apesar de toda a gente achar que não ia estar tempo para praia, lá fui eu até Leça.

Afinal, ontem ao deitar o Luis tinha-lhe lido mais uma vez este excerto e prometi-lhe que hoje iríamos à procura da menina do mar.

E la fomos nós para a praia não sem antes tomarmos um café e um gelado com direito a surpresa das boas.

Esteve um dia maravilhoso pois a praia estava calma apesar de as nuvens aparentarem mau tempo, temperatura amena, àgua deliciosa (foram vários os banhos tomados por mim e pelo Luis) e ainda estivemos a fazer piscinas e numa rocha a ver se encontravamos a menina do mar, o polvo, o caranguejo e o peixe mas não tivemos muita sorte :P
Estivemos lá calmamente até que o tempo começou a mudar rapidamente e lá tivemos de vir apesar dos veementes protestos do Luis.

Há momentos assim, quase perfeitos onde são as simples coisas que nos dão mais prazer. Pena que muitas vezes o dia-a dia nos faça não aproveitar melhor os pequenos grandes prazeres que a vida nos proporciona.


O dia de hoje será daqueles que por vários motivos me ficará gravado na memória...

18 comentários:

bruno mateo disse...

Estes dias não se esquecem porque há os que são para esquecer.
Beijo.

mjf disse...

Olá!
São momentos assim que nos fazem felizes ;=)

Beijocas

LeniB disse...

Belos momentos...aproveita-os bem...eles crescem depressa de mais!!
bjs
(tenho saudades tuas...pá!!!)

Zabour disse...

Escolheste muito bem a história para contar ao Luís. Posso dar-te outra sugestão? "O Espantalho Apaixonado", também é uma história giríssima, dps tens o "Helmer", as histórias do Sapo...Ups, desculpa, é que pr literatura infanto-juvenil tou cá eu,eh,eh,eh...Jé estive para fazer mestrado sobre isso ,mas dps como não me dava para nada achei melhor ficar quieta...

Bjokas aos dois

Leonor disse...

que sensação de calma e dia bem passado ao ler a tua descrição...

mantém-na para a semana, às vezes conseguimos esse pequeno feito de estender a felicidade com que partimos para o lufa lufa do nosso dia a dia

beijinhos, boa semana

Ka disse...

MATEO,

Então não há? Mas nada acontece por acaso...acho.

beijinho

Ka disse...

mjf,

Sem dúvida! E num dia mau, se tiveros um momento assim e nos concentrarmos nele a diferença será enorrrme :)

beijocas


Ps - e o teu rebento? Espero que ela esteja bem!

Ka disse...

Lenib,

Aproveito pois!!! Sabes que +or vezes penso que eles (os nossos filhos) levam fermento sem a gente dar conta e de repente estão enooooormes :P


Beijossss

pa - também tinha saudades de te ver por aqui (tás postada...ahahah)

Ka disse...

Zabour,

Ahhhh já sei a quem vou pedir mais dicas :)))))

Obrigada!!!

Beijocas e boa semana

Ka disse...

Leonor,

Não digo dia mas manhã foi!!!!

E, tentarei fazer isso acredita.

Beijinhos e boa semana

joana disse...

E esses dias há que aproveita los ao maximo,nem todos tem essa sorte de dias assim.
Beijinhos e uma boa semana

Mocho Falante disse...

São de factos momentos que nem tu nem o Luís vão alguma vez esquecer, ficam gravados nas nossa memória

beijocas

ines disse...

numa próxima apanha umas conchinas, um saquinho de areia, umas pedrinhas e faz colagem com ele! Vais ver a "menina do mar" linda que ele faz!

Um b&abraço grande

paulofski disse...

Pois diziam que dava chuva, mas tal como vocês ainda pude aproveitar uma quentinha manha de Sábado na praia na companhia do meu rapaz. Curioso, também não vimos a menina do mar!

Ka disse...

Joana,

Nem são dias, são momentos e como momentos que são devem ser preciosamente guardados :)

beijinhos e boa semana

Ka disse...

Mochitooooo,

Não vamos não, pelo menos eu não e vou fazer questão de o relembrar ao Luis.

Beijoca grande

ps - é sempre bom ver-te por aqui

Ka disse...

Inês,

Nas férias fiz isso mas ele ainda é pequenito para as imagens, limita-se mais a brincar com as conchas :)

Beijinhosss

Ka disse...

Paulofski,

E estava uma boa manhã de praia não estava?

Espero que vocês se tenham divertido muito também.

beijinhoss