07/05/2008

Um fim de dia diferente...


Ivo Pogorelich nasceu em Belgrado em 1958 e começou a tocar piano aos sete anos de idade. Aos doze ingressou na Escola Central de Música de Moscovo e posteriormente no Conservatório Tchaikovsky. Em 1976 iniciou estudos intensivos com a pianista e professora Aliza Kezeradze, com quem se casou em 1980. Em 1978 ganhou o Concurso Casagrande, em Terni (Itália), e em 1980 o Concurso Internacional de Música de Montreal, mas seria o prémio que não conseguiu ganhar aquele que o tornaria mundialmente famoso. Em 1980 participou no Concurso Internacional Chopin de Varsóvia, onde a sua eliminação prematura provocou grande controvérsia, atraindo a atenção do mundo musical para o pianista.

Foi este Pianista que fui ouvir ontem por volta das 19h30 na Sala Guilermina Suggia da Casa da Música. Confesso que tinha curiosidade pois embora não conhecesse bem as obras que ele iria tocar, sabia que ele é conhecido pela originalidade das suas interpretações. Não vou dizer que tenha ficado encantada com o concerto pois não fiquei, as peças tocadas eram algo tristonhas, o que não estava bem de acordo com o meu estado de espírito, no entanto e apesar dos meus parcos conhecimentos neste campo musical, deu para ver que estava perante um intérprete fabuloso e fiquei com curiosidade de o ouvir tocar outras peças.

Ouvir um concerto destes ao fim do dia na Sala Suggia é no mínimo uma experiência diferente. Temos oportunidade de ver o anoitecer através das grandes janelas da sala e a conjugação da mudança de luz com a música proporciona-nos um momento de descompressão. Respiramos fundo, desaceleramos da correria de fim de dia, e apreciamos verdadeiramente este momento, mesmo que a música não seja a que mais gostaríamos de ouvir. Aconselho esta experiência a quem poder lá ir!


Apesar de sempre ter embirrado com este cubo, no sítio onde está, assmo que estamos perante uma estrutura que nos proporciona as melhores condições para apreciarmos devidamente a música!

19 comentários:

Patti disse...

Pois eu não conheço nem o rapaz nem a Casa da Música.
Mas piano até gosto muito de ouvir.
Tenho de ir dar umas voltinhas à tua terra, talvez este Verão.
Conheço muito bem todo o Norte (Minho e Alto Minho, Trás-os-Montes) mas no Porto só mesmo ali a Foz e a Ribeira, pouco mais.

KNOPPIX disse...

Querida Ka, não sei se vou estar pela Invicta no fds, mas a sugestão ficou anotada, é excelente e se puder, estou lá :)

Beijinhos daqueles mesmo bons :)

Enfim... disse...

é coisa que não me chama muito a atenção mas deve ter sido engraçado lol

beijinhos

Paulo Tomás Neves disse...

O calhau parece que tem mesmo muito boa acústica, é pena ser tão disforme e ter aterrado junto à rotunda, assim sem pensar muito bem podia indicar uns 18 buracos onde ele ficava bem melhor, sem perder a acústica, pois claro.

LeniB disse...

Conheço a tua terra, mas desconheço os interiores da casa da Música.
Deve ser muito relaxante acabar um dia de trabalho dessa maneira.
bj

paulofski disse...

Pois é... Como portuense até tenho vergonha de dizer isto, mas ainda não presenciei a algum tipo de espectáculo na Casa da Música.
Não tenho usufruido muito do aumento da oferta cultural que a CM proporciona à nossa cidade.
Breve espero fazê-lo.

Beijo

Ka disse...

Patti,

O rapazito nem está mal de todo :P

Quanto a conheceres melhor a cidade tens mesmo de o fazer embora já conheças dois bons locais onde no verão se pode "esplanar" muito bem :)

Beijinhos

ps - quando cá vieres diz qq coisa!

Ka disse...

Knoppix,

No fim-de-semana este concerto específico já não vais ter mas terás outros bons igualmente :)

Beijinhosss

Ka disse...

Enfim,

Benvinda ao BDK!


O bom da casa da Música é que tem música para tdos os gostos!

Beijinho e volta sempre :)

Ka disse...

Paulo,

Quanto á peça em si (exteriormente) e quanto à localização estou totalmente de acordo. Lembra-se que lá era a recolha dos eléctricos? Uma pena terem destruído aquilo...

Agora que a acústica é boa e que finalmente ficamos com mais alguma (pequenina na mesma) oferta cultural, é uma realidade.

Beijinho

Ka disse...

Lenib,

Acredita que foi até porque a mnhã tinha sido para esquecer! além disso seguiu-se um jantar muito agradável :)

Se cá voltares aconselho-te a veres por dentro que tem uma certa piada.

beijinhos

Ka disse...

paulofski,

Experimenta lá ir pois há concertos para todos os gostos, a todas as horas (até de manhã) e a todos os preços :)

Beijinho

Marco Ferreira disse...

O músico não conheço, a casa da música apenas por fora, mas uma coisa é certa, é sempre bom ter um espaço onde acontecem as coisas, independetemente da sua forma, tamanho ou beleza.

marinheiroaguadoce a navegar

Vulcano Lover disse...

ha muito tempo que gosto do pogorelich... tenho vários cd's dele mas só foi o ano passado que pode vê-lo aqui em Madrid. Foi uma experiência maravilhosa...

Olá!! disse...

De facto estacionaram o cubo no pior loca possível, o pior talvez não, mas podiam te-lo feito em outros bem melhores... mas que tem superado as espectativas isso tem.
:)))
*********** com beijos hahaha

Ka disse...

Marco,

Quando voltares à invicta tenta conhecer por dentro e ouvir um concerto pois vale a pena :)

Beijinho e um óptimo dia!

Ka disse...

Hola Vulcano,

Pero tus conocimentos de musica clasica no tienen anda que ver con los míos que son muy superficiales.
Las piezas elegidas para este concierto no me han gustado mucho pero és un encanto verlo a interpretar.

Besos

Ka disse...

Olá!!,

Sem d´+uvida qe haveria locais muito melhores mas deve ter havido algumas pessoas a ganhar uns valentes milhões com esta localização.

**** com....**** (heheh)

GP disse...

Fico contente por saber que o teu espírito estava vestido de alebria.

beijinho