08/02/2009

Português é bom - parte II

Foram duas horas deliciosas onde tive oportunidade de ouvir pela segunda vez outro dos nossos valores musicais, Marta Gonçalves em flauta Barroca.

Nascida em 1983 iniciou os seus estudos musicais aos 7 anos de idade e completou os estudos no Conservatório de Música da Caloute Gulbenkian de Aveiro com a classificação máxima de 20 Valores. Após ter sido bolseira no Royal College of Music em Londres, terminou em Julho de 2007 a licenciatura em Flauta moderna e Flauta barroca com a classificação "first Class With Honors" e encontra-se a terminar o Mestrado em Flauta Barroca, como Bolseira, no Royal College of Music em Londres.
Não só pela excelência da interpretação mas como também pela sua postura sóbria e pela sua simpatia é sem dúvida um valor a promover.
Aqui falo de Marta Gonçalves mas ainda há meses atrás tive oportunidade de ouvir, igualmente na Casa da Música, outros jovens talentos da interpretação música clássica e curiosamente começaram todos nas suas localidades e não nas grandes cidades o que significa que existem muitas pessoas de igual valor que levam a que estes jovens sigam em frente e sobressaiam. Afinal o que é Português também é bom.

Numa sociedade onde se promovem campeonatos de futebol como se fosse o estandarte Português, onde se fala de política e outros assuntos onde só temos onde nos envergonhar, é uma pena que a maior parte dos portugueses ignore que é representado por pessoas de excelência em vários pontos do mundo.

10 comentários:

Eduardo Lara Alves disse...

Pode ser que com a Casa da Música deixem de me dizer que os espectáculos são todos cá em Lisboa.

LeniB disse...

Estou preocupada...esta cena de tanta música clássica não te fará mal??? lol
bjs

once disse...

Sem dúvida Ka .. é uma pena que as apresentações continuem às moscas, que os eventos não sejam divulgados, e acima de tudo que a ideia do "é gratuito, não presta" tenha invadido a nossa sociedade pensante .. ou melhor: os que se dizem pensantes. Nem sonham o que têm perdido ;)

Gostei de ler estes dois **
Beijinho e boa semana

1/4 de Fada disse...

Gostei muito da tua reportagem. É realmente uma pena que não haja mais publicidade em torno destes eventos e destas pessoas.

Kok disse...

De tantos valores que temos na nossa história só são falados e conhecidos os mais mediáticos. Todos (?) "sabemos" se o C.Ronaldo é o melhor do mundo ou não! E fala-se dele.
Mas como falar de Carlos Seixas (p.ex.) se ninguém (salvo seja), sabe que foi?
Mas o Tony Carreira, independentemente do valor que tenha, quem não o conhece?
Nem é uma questão de prioridades. É de ausência de valores culturais e de interesse em os promover!
Beijos

Ka disse...

Eduardo,

Eu pelo menos não deixo até porque o desiquilibrio das agendas é por demais notório ...
Adoro morar no Porto mas gostaria de ter a vossa agenda cultural...lol

Beijinho

Ka disse...

Lenib,

Nem por isso :P
Eleva-me o espírito!

Beijossss


ps - e as preparações carnavalescas????

Ka disse...

Once,

Este tema dá pano para mangas!!! Acho que quem está ligado á cultura já não tem o nível de outrora e o nível vai baixando. Por outro lado nem será tanto o gratuito ser mau mas sim o facto de tudo o que é português ser desvalorizado. Vi em Setembro do ano passado na Casa da música o Concerto dos laureados dos prémios Jovens Músicos RDP - acompanhados pela Orquestra da Gulbenkian e ao ler o programa apercebi-me que a maior parte destes jovens músicos é descoberta nas suas localidades. Foi engraçado ver o concerto e aperceber-me qe na plateia estava uma data de gente nova que habitualmente não vai a estes concertos, talvez porque não seja acessível financeiramente mas ao mesmo tempo fica a pequenina esperança que pelo menos alguma da nossa juventude esteja já sensilizada.

E de facto as pessoas nem sabem o que perdem :)

Bweijinho e uma excelente semana

Ka disse...

Fada,

A publicidade por si só não resolve e nem sempre é o problema. Digo-te que estava a chegar á Casa da Música e vejo um autocarro que vinha de Espanha, de Vila Garcia de Arousa. Ainda pensámos que fosse para visitar a Casa da música mas mal entramos na sala, lá estavam os miúdos do autocarro lá dentro. Tivem feito umas centenas de Kilómetros para vir ver este concerto, acreditas??

Beijinho

Ka disse...

Kok,

O problema é precisamente esse, a falta de cultura e de exigência cultural. Claro que se as pessoas desconhecerem quem é um determinado autor literário ou um determinado compositor, nunca poderão reclamar lê-lo ou ouvi-lo.

E no caso da música clássica é mesmo necessário ouvi-la ao vivo para se ficar cativado e se aprender a gostar. Sempre ouvi música mas durante a minha infância ouvia muito mais jazz. Com a música classica e música antiga só comecei a aprender umas coisitas há 10 anos atrás e poruqe me convidaram para um concerto de música antiga. Tinha ouvido em cd, achei piada mas não me cativou por aí além. Quando ouvi ao vivo fiquei rendida. Tive a sorte de ter ouvido o maior interprete de música antiga que é o catalão Jordi Savall e o deu grupo.

Esta formação musical deveria ser obrigatória nas escolas em vez de andarem entretidos com o Magalhães!!! (irrita-me só de pensar...lol)

Beijinhos