12/02/2009

À medida...


... que os anos vão passando cada vez mais aprendo que não há verdades absolutas e cada vez vou fazendo menos julgamentos acerca de realidades que desconheço. Posso ter uma opinião mas daí a fazer um julgamento ou "sentenciar" a pessoa vai um grande passo até porque não tenho esse direito sequer.

E cada vez me irrita mais quem tem esse tipo de atitude, a falta de conhecimento e tolerância, as "bocas", os silêncios de crítica. Se há alguma coisa a ser dita acho que deve ser feito directamente.
Cada vez entendo menos quem se julga no direito de julgar os outros. Acho que a nossa consciência é o nosso melhor julgamento (claro que falo de pessoas normais, equilibradas) e para quem seja crente já teremos altura de ajustar contas.

Cada vez mais tenho menos tolerância para atitudes encapotadas e arrogantes. Há coisas que não dizem respeito a ninguém a não ser ao próprio e mesmo que o próprio nos tenha contado alguma coisa, não é por isso que se ganha o direito ao julgamento. Se houver liberdade para criticar então a crítica deve ser directa.

Cada um sabe de si e normalmente quem está de dedo apontado aos outros não faz a mais pálida ideia das realidades que julga, motivo que deveria ser suficientemente forte para não o fazer..mas não...do alto do seu pedestal estão estas almas de dedo apontado. Já não há pachorra!


Qual a razão pela qual escrevo estas palavras? Estou profundamente irritada!
E se alguém enfiar o barrete é porque o mesmo lhe serve :)

E agora vamos lá aproveitar este solzinho maravilhoso que está!

15 comentários:

Vekiki disse...

Subscrevo :)

Pedro Barbosa Pinto disse...

Os outros (tudo, aliás) aos nossos olhos dependem do que nós somos no momento em que os olhamos (avaliamos). Assim, qualquer julgamento que deles queiramos fazer está inquinado logo à partida.
Quando nos olhamos ao espelho, não há vezes que gostamos do que vemos e outras que odiamos?

Um beijinho

inês disse...

Dá-lhe(s),sem medos, nem perdão! E viva o sol, esse ao menos não nos dá confusão!

paulofski disse...

Admito que inconscientemente eu julgo e sentencio alguém das minhas relações, ou até não. Muitos vivem falando da vida alheia, gostam que sejam “falados”, adoram meter-se onde não são chamados, influenciam e condicionam comportamentos. Pois muito bem, também prefiro receber a crítica, a observação, o elogio de uma forma directa, com possibilidade de defesa de argumentos, sinceridade, e influência positiva. Antes de alguém apontar, julgar e condenar alguém, deve pelo menos perceber que ninguém é obrigado a ter o mesmo entendimento, sentimento, ideal. Não tendo o mesmo ponto de vista pelo menos deve respeitá-lo.

Beijo

Valha-nos este sol :)

caditonuno disse...

eu nao enfiei o barrete, mas nota-se que estás mesmo irritada! aproveita o sol, moça!

Ka disse...

Vera,

é apenas uma verbalização minha e por distracção ficou com a caixa de comentários aberta que não queria.

Ka disse...

Pedro,

Sem adiantar muito pois não me apetece falar apenas acho que cada um sabe de si...

beijinho

Ka disse...

Inês.

LoL!

Não dou anda a ninguém apenas fiquei irritada. Eu também já sentenciei...mea culpa ...mas cada vez menos o faço e me arrependo de o ter feito agora nunca falei do alto do meu pedestal.

Beijocas

Ka disse...

Paulofski,

Eu gosto que me digam as coisas na cara.

Beijos

Ka disse...

cadito,

Um cadito irritada sim...lol

Beijoca

Si disse...

BRAVO!!
e mai nada....

lilipat2008 disse...

Estou totalmente de acordo...as pessoas falam sem saberem o que dizem, sem passarem pelas situações...eu também já fui assim, mas, e tal como tu, cada vez mais fico à margem de certos comentários...antes de falar tentar ver o lado da pessoa e se não conseguir, não falar de todo.

bjitos

Kok disse...

Eu não diria melhor!
Subscrevo inteiramente!
Beijinhossssssssssss

Graça Pimentel disse...

Não te irrites, minha linda! Ninguém merece isso.
Tudo bom?

beijocas

Gi disse...

Também foi uma coisa que aprendi com a idade; que não existem só brancos e pretos, existem, igualmente, uma cambiante imensa de cinzentos.