21/01/2009

Muita coisa se pode dizer...

religião
do Lat. religione
s. f.,
culto prestado à divindade;
crença na existência de uma ou mais forças sobrenaturais;
fé;
reverência às coisas sagradas;
observância dos preceitos religiosos;
doutrina, sistema religioso;
ordem religiosa


... acerca da religião e não terei sequer a arrogância de fazer um post sobre este assunto com a profundidade merecida. Limito-me hoje, porque é o dia mundial da Religião a falar sobre o que para mim a religião tem de mais importante : a fé!

Tive uma educação cristã e católica que continuo a praticar por opção e com convicção, embora de forma muitas vezes contestatária uma vez que choco com determinadas posições da Igreja enquanto instituição. Acredito que se tivesse tido uma educação Hindu, ou muçulmana ou de qualquer outra religião, a minha crença seria distinta mantendo apenas o ponto comum entre todas elas é a fé.
A fé ajuda-nos a manter a coragem em alturas difíceis, dá-nos força em alturas de desafio, dá-nos esperança em alturas de perda, faz-nos acreditar no melhor das pessoas e tudo isto vai colorindo a nossa vida. Não imagino o que seria o meu dia-a-dia sem fé...mas os tons cinzentos estariam lá de certeza absoluta! Claro que há pessoas que não tiveram qualquer formação religiosa e têm tanta fé como eu, só não têm o ónus de acreditar que há Alguém a velar por nós, coisa que a mim me reconforta imenso.

Este post hoje ganhou um novo significado por dois motivos distintos:
- Uma amiga que sempre acreditou que a sorte ia mudar e conseguiu! Cara Laura , fico muito feliz por veres o teu sonho realizar-se., ainda por cima já esta 6ª feira! Estarei a torcer para que tudo te corra às mil maravilhas :)
- Uma amiga que perdeu alguém próximo. A ti querida L. fica a esperança de que a tua mãe estará bem melhor agora.

20 comentários:

Si disse...

Às vezes é difícil manter a fé em algo mais do que nós próprios. Até a mim, que sou naturalmente optimista, surge frequentemente a dificuldade de a manter, perante situações que se nos deparam resistentemente imunes à nossa preserverança.

Vekiki disse...

Ka, acredita que eu gostava de sentir essa Fé, mas tal como diz a Si, sinto e tento manter a Fé em mim própria. Não é muito mas já é uma Fé! Conheço pessoas que têm essa Fé de que falas. São pessoas alegres, felizes, capazes de tudo sem nunca esmorecerem. Por vezes gostava de ter essa fé. Mas não consigo. Há demasiadas coisas a acontecerem no Mundo que me fazem duvidar da existência de Alguém que vele por nós...
Para ti, parabéns por esse rumo que tens na tua Vida :)

paulofski disse...

Eu vou na onda da maioria dos católicos portugueses, os que não são praticantes. Para mim tudo o que tenha a ver com religiões passa ao lado da minha compreensão terrena. Tenho casos próximos na família da procura da "salvação", encontrar na fé uma "mão" estendida e o cumprimento da promessa feita num acto de desespero. Compreendo a fé como atributo pessoal, o que não entendo são alguns rituais e preconceitos que se praticam em nome dela. Embora tendo crescido num meio cristão, e tenha tido também uma educação cristã, vivo e me sinto bem não sendo crente.

Um beijinho sentido à nossa amiga L. Cada um de nós sente de uma forma diferente as diferentes perdas pelas quais temos que atravessar.


Beijinhos

mjf disse...

Olá! Também eu sou uma crente...e a fé tem-me ajudado em muitos momentos, por vezes me questione que quem zela por nós...ás vezes anda um pouco distraído !!!
ups

Beijocas

liamaral disse...

Religião, Futebol e Politíca não discuto! Cada um tem a sua opinião e respeitemo-nos mutuamente!
:) Beijinho

Pedro Barbosa Pinto disse...

Eu acredito no transcendente, e abandonei a religião Católica em que fui educado para poder manter essa fé.
Como Fernando Pessoa - "sou oposto a todas as Igrejas organizadas".
Gosto muito de Jesus. Do homem, não do Cristo.

Um beijinho Ka

lilipat2008 disse...

Não podia concordar mais...a fé é o que nos une...
Eu também fui criada na religião católica, que continuo a praticar pelas mesmas razões que tu. Mas, tal como tu, choco muitas vezes com certas atitudes e opiniões da Igreja, enquanto instituição; tanto do presente como do passado. O celibato, por exemplo, é uma delas...

Fica bem
bjitos

Patti disse...

Bom, de religião e sobre religião já falei pelo menos duas vezes em posts e espero não falar mais, mas nunca se sabe...

Sobre a fé é tudo muitíssimo relativo. O que será para uns, não o é para outros e por aí afora

Eu sou muito optimista, positiva, alegre e nada dada à fé que tu descreves: a de ter alguém a velar por nós. Já fui assim e muito, mas já não sou.
Eu chamo de acreditar em nós e na volta é tudo o mesmo.

Acredito é que quem tem fé em algo superior, terá com certeza uma melhor maneira de encarar o fim. Disso sim, tenho inveja.

Que bom para a tua amiga ter acreditado e conseguido.

Zabour disse...

Sim, há que manter a fé! É ela k nos mantém vivos nas piores ocasiões.

Bjokas

Ka disse...

Si,

É verdade o que diz mas enquanto tivermos alguma, nem que seja em nós próprios (que quanto a mim talvez seja uma das mais importantes) já é muito bom!

Beijinho

Ka disse...

Vera,

Há alturas em que me questiono de tudo mas outras há em que vem a certeza e isso é BOm, sossega-me e dá-me esperança :)

beijinho

Ka disse...

Paulofski,

Engraçado flares nas promessas pois ao contrário do que a maior parte das pessoas acha, uma promessa não é um acto de "toma lá, dá cá" mas sim a única coisa que determinada pessoa tem para continuar a ter esperança quando a situação é desesperante. Tive oportunidade de aprender isso em dois anos que participei no voluntariado de apoio aos peregrinos a fátima. Havia um caso de uns pais que tinham perdido uma filha. Ao falar com eles perguntei porque tinham feito a promessa se sabiam que ela ia morrer a resposta foi arrepiante pois foi dada de sorriso na cara: Queríamos que a nossa filha cummprisse o sonho dela antes de morrer e queríamos ter força para ter sempre um sorriso na cara. Conseguimos isso e estamos aqui a cumprir a promessa. (o sonho era acabar um curso que ela estava a fazer e ela tinha morrido de cancro à cerca de um mês). Fiquei parva com a serenidade deles...

Beijinho

Ka disse...

mjf,

O facto de acreditar a mim dá-me uma esperança enorme :)
E claro, também acho que se distrai por vezes...lol

Ka disse...

Liamaral,

Eu não discuto, posso é conversar sobre o tema :)

Só excluo o futebol quando me aparecem fundamentalistas :P

Beijinho

Ka disse...

Pedro,

As instituições estragam um bocdo a pureza da crença porque vêm acompanhadas de 1001 dogmas e como falam para massas a mensagm é sempre espartilhada em determinadas regras. Por isso eu digo muitoas vezes que mais que católica sou cristã :)

Beijinho

Ka disse...

Lilipat,

Sabes que ao fazer este post pensava precisament na questão de ser ou não católica. Acho que acima de tudo, religiões á parte, o bom é termos fé e acreditarmos em algo melhor, positivo, transcendente...dá sempre esperança. Eu não discuto qe a religião católica seja mais certa que o budismo, ou outra qualquer...é apenas difenrente mas o fim é comum: sermos melhore pessoas possiveis e sabermos que há alguém a zelar por nós :)

Beijinho

Ka disse...

Patti,

Eu acredito que exista alguém a velar por nós, mas atenção, acredito que a nossa vida é em grande parte o resultado das nossas acções e opções. FAzemos muito a nossa sorte! E para isso temos de ter fé em nós :)
Quanto a encarar o fim, o facto de ser crente ajuda a diminuir a angústia sem dúvida..

Beijinho

Ka disse...

Zabour,

É isso :)

Beijinho

Gi disse...

Eu nem em mim tenho grande fé; mas tenho uma consciência enorme.

Olá!! disse...

Acredito nas pessoas que têm fé.
Também acredito nos agnósticos.
Acima de tudo acredito no ser humano com vontade genuina de entre-ajuda. Obrigada Ka
Beijo