22/01/2009

Sussuram-se...

notícias só para se proteger a classe.

Há coisas que me tiram um bocado do sério e a falta de seriedade é uma delas. Não sei se se lembram da tentativa da jornalista Inês Serra Lopes directora do independente, e filha do advogado de Carlos Cruz no caso Casa Pia, de arranjar um sósia que no mínimo gerasse a dúvida de não ter sido Carlos Cruz quem os miúdos identificaram.
Lembro-me perfeitamente na altura que as televisões caíram em cima do pobre senhor e da angústia que ele demonstrava até porque a parecença não era tão grande conforme se dizia. Ele ficou na altura com a vida virada do avesso e não sei se terá alguma vez voltado ao normal.
Pois bem, a dita Senhora foi agora condenada pelo Tribunal da Relação a um ano de cadeia pelo favorecimento de Carlos Cruz. Podem ler melhor a notícia aqui ou aqui.
O que me irrita de sobremaneira é o facto de isto ter passado desapercebido da comunicação social em geral. Esta notícia, se ela não fosse jornalista, teria tido honras de primeira página ou de abertura de telejornal e eu não me lembro sequer de ter sido mencionada por alguma televisão. Que normalmente as classes tentam proteger os seus é já regra comum neste país. São médicos a defenderem médicos, advogados a defenderem advogados e neste caso jornalistas a fazerem olhos cegos e ouvidos moucos de um importante caso que pode decidir a condenação ou não de alguém por actos de pedofilia.
O facto de relatarem não condena ninguém. E pena é que não tenham tantos escrúpulos quando se trata de pessoas anónimas que são logo crucificadas pela comunicação social. Dois pesos e duas medidas que nos elucidam sobre a transparência (ou falta dela) da comunicação social portuguesa.

Tenho pena de não ter comigo a crónica do Eduardo Cintra Torres do público de sábado que fala precisamente neste assunto.

14 comentários:

Pedro Barbosa Pinto disse...

Está distraída, amiga Ka!
O assunto não passou despercebido à comunicação social.
Tanto assim é que o abafaram convenientemente.

Um beijinho

Vekiki disse...

Ka, no processo da Casa Pia há tanta coisa que ficamos sem saber. Porque será? Porque será que tenho a desconfiança de que só o Bibi será condenado? Quando o próprio Juiz afirma que não porá em causa os testemunhos dos rapazes e o advogado do sr. Carlos Cruz vem dizer que o seu constituinte está disposto a perdoar os rapazes pelas acusações que lhe dirigiram. Que querido :( Que bonzinho :(
Que tristeza!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

ines disse...

A noticia não foi abafada! No dia 6 de Janeiro foi abertura de todos os telejornais! Em relação a tudo isto ainda vai correr muita tinta, infelizmente com conclusões ou não!

Si disse...

No meio disto tudo, o mais grave para mim ainda será a impunidade que se irá demonstrar sobre crimes horrendos.
Tudo o que vem ao lado é folclore, para desviar as atenções do povinho nas questões fundamentais, guerras de bastidores que encobrem máquinas infernais de marketing, sustentadas por quem (se) governa neste país.
Embora sem ter a ver com este assunto em particular, o post de hoje do Salvo-Conduto faz as devidas comparações em relação ao funcionamento da justiça portuguesa. Aconselho vivamente a sua leitura - salvoconduto.blogs.sapo.pt - Uma nota ainda: eis o que li de raspão, nas 'curtas' da TSF: http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=1075457

É que já não há pachorra para tanto folclore!

Gi disse...

Ia dizer o mesmo que a Inês; que tinha visto e ouvido a notícia num telejonal

Ka disse...

Pedro,

É precisamente isso...

Beijinho

Ka disse...

Vera,

Nem cheguei a esse ponto...
falava mesmo da defesa da classe jornalística !!
O processo em si é mau demais para ser falado de forma levezinha.

Bejinho

Ka disse...

Inês,

Por acaso não vi mas o que digo é que se não fosse acerca de uma jornalista a notícia seria muito bem espremida e dava para vários dias. Neste caso deu na tv no dia em que saiu e ponto final...foi sumariamente abafada.

Beijosss

Ka disse...

Si,

O grande problema neste país é que se faz tudo o que se quer e a lei dá sempre uma escapatória. Veremos se a dita Senhora alguma vez cumprirá a pena ou pagará a multa correspondente. E quanto ao pobre do homem qe foi envolvido nesta história toda devia ser fortemente indeminizado.

Já irei ler as suas recomendações!
recomendações :)

Beijoss

Ka disse...

Gi,

Mas de certeza tão depressa a ouviste como a esqeceste pois a C.S. abafou-a rapidamente. Se a pessoa fosse outra ainda hoje estariam a falar no assunto.

Beijosss

Marco Ferreira disse...

Anormal seria se falassem na comunicação social de forma a crusificar a jornalista.

É pena mas este é o nosso país.

marinheiroaguadoce a navegar

Ka disse...

Marco,

Infelizmente é mesmo isso...

Beijinhos

Patti disse...

Este é o país das impunidades até quando é que não sei.

E os próximos impunes vão ser as vítimas da casa pia, leia-se vítimas os senhores que estão no banco dos réus.

Anónimo disse...

Deixo um desafio. Por que será que quase ninguém fala nas 123 pessoas que o grupo Controlinveste quer despedir? Por que será que tirando o Honório Novo, do PCP, ainda não se ouviu um único dirigente político criticar esta decisão?

Por que será que ela não faz honras de aberturas de telejornais ou de manchetes de jornais? Por que será que a sociedade portuguesa assobia para o lado como se nada acontecesse e apenas interessassem os 40 trabalhadores de uma qualquer empresa mexeruca no Vale do Ave que até já não produzia nada há mais de três ou quatro meses?

Enquanto andais todos satisfeitos da vida a assobiar para o lado, como se nada se passasse, e se calhar até lamentam que não sejam mais os despedidos, não vêem o risco que a democracia portuguesa e liberdade de expressão correm.

Mas não faz mal. Quando daqui para uns anos todos os jornais divulgarem a mesma notícia, com o mesmo enquadramento e o mesmo ponto de vista, ficarão todos muito mais satisfeitos. Aliás, basta irem ao google news e pesquisarem um qualquer tema. Perceberão facilmente do que estou a falar.

Quando abrirem os olhos e virem o que está a ser feito talvez seja tarde de mais. E depois choram e vêm dizer que parece que voltamos ao tempo da outra senhora.

Não abram os olhos enquanto é tempo e depois vão ver o que vai acontecer ao país.